imagem 728x90

Covid-19: 45% dos casos do Rio de Janeiro são da variante Delta

Por Nação Sampa News em 04/08/2021 às 15:56:39


Entre junho e julho, os casos de covid-19 causados pela variante Delta do Sars-Cov-2, surgida na √ćndia, avan√ßaram no estado do Rio de Janeiro e j√° representam 26,09% do total. Na capital, a Delta representa 45% das amostras analisadas. Os dados foram divulgados pela Subsecretaria de Vigil√Ęncia e Aten√ß√£o Prim√°ria à Sa√ļde (Svaps), da Secretaria de Estado de Sa√ļde (SES) e a estimativa foi confirmada pela Secretaria Municipal de Sa√ļde (SMS).

Das 368 amostras colhidas em todo o estado analisadas na √ļltima rodada, 66,58% eram da variante Gama, antes chamada de P.1, surgida no Brasil, e 26,09% da variante Delta, a B.1.617.2. Na rodada de an√°lises anterior, divulgada no dia 20 de julho e que sequenciou o genoma de 379 amostras coletadas em junho, os resultados apontaram para 78,36% da variante Gama e 16,62% da Delta.

"Dessa forma, é poss√≠vel afirmar que a variante Delta est√° em circula√ß√£o no estado do Rio de Janeiro, com tend√™ncia de aumento e convers√£o para se tornar a mais frequente, substituindo a variante Gama", informou a Secretaria de Sa√ļde.

Acrescentou que a variante Delta foi identificada em 38 munic√≠pios nas nove regi√Ķes do estado. Entre as variantes de preocupa√ß√£o, determinadas pela Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde (OMS), a an√°lise mostrou, ainda, a presen√ßa de 0,8% da variante Alfa, a B.1.1.7 surgida na Inglaterra.

Variante é mais transmiss√≠vel

N√£o h√° an√°lises conclusivas, mas os estudos apontam que a variante Delta é mais transmiss√≠vel que as outras, apesar de n√£o haver ind√≠cios de que cause infec√ß√Ķes mais graves.

A an√°lise genômica do novo coronav√≠rus é feita por amostragem, recolhendo exemplos de maior carga viral, em pacientes que podem ter maior gravidade cl√≠nica. Desde janeiro, foram avaliadas 3.555 amostras no estado.

Segundo a Secretaria de Sa√ļde, a partir deste m√™s a metodologia vai mudar, passando a ter duas etapas. A primeira vai analisar 300 amostras de pacientes internados em nove hospitais das nove regi√Ķes epidemiológicas do estado. Na rodada seguinte, as amostras ser√£o coletadas na rede ambulatorial. Com isso, ser√° poss√≠vel monitorar qual variante tem causado mais interna√ß√Ķes.

O sequenciamento genômico do coronav√≠rus é um exame diferente do teste diagnóstico de rotina. Ele é feito para identificar modifica√ß√Ķes sofridas pelo v√≠rus SARS-CoV-2 no estado e embasar pol√≠ticas sanit√°rias. Participam do estudo especialistas da Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
imagem 728x90

Coment√°rios

imagem 728x90